26 de jun de 2009

A Felicidade Aqui e Agora

Imagem: 'Strings' by Alexiuss


Acordou bem disposta , convicta que o melhor momento é o tempo presente, pois é um presente de Deus . Sabia que viver sem preocupações era o melhor caminho a seguir.
 
A vida corria sem grandes alardes, em paz. Cantarolou a música do Gilberto Gil : “ A paz, invadiu o meu coração ...” Não lembrou o verso seguinte e improvisou com lálálálá . Ficou matutando sobre sua próxima viagem . Será que daria para fazer tudo que estava planejando? Reconheceu que precisava deixar de fazer muitos planos, ter atitude e não adiar tanto as tarefas a serem realizadas.
De repente veio uma súbita vontade de ir até o lugar onde viveu momentos maravilhosos . Lembrou com clareza o instante em que ele falou " - Pára tempo , pára " . E o tempo parou naquele exato momento. A eternidade se fez em breves segundos, quando a máquina fotográfica colocada à frente deles , sobre as pedras que circundavam a cachoeira , deu um clique e os retratou, registrando num foco de luz aquele momento. No fundo do cenário paradisíaco a cachoeira transbordava. A emoção pura e cristalina como aquelas águas , também transbordava.

Voltou ao presente e refletiu : Já estou novamente fora do momento , no passado... Pensando bem , se existe a eternidade , aquele momento subsiste no presente, quando dele me recordo. Recordar não é viver? Não sou tão saudosista assim, mas sempre é bom lembrar os momentos felizes " .

Quando
alguma preocupação ou pensamento negativo vinha à sua mente , imediatamente procurava substituí-lo por boas lembranças, momentos felizes vividos e assim descartava o mau pensamento. Sabia que era melhor ser alegre do que triste . Não aquela euforia exagerada , meio forçada, mas a alegria genuína , uma feliz serenidade. Continuou a  cantarolar,  agora os  versos de Tom Jobim : "É melhor ser alegre que ser triste, alegria é a melhor coisa que  existe, é assim  como luz no coração... "

Continuou refletindo : " Feliz serenidade... isso não é felicidade? Feliz idade ... felicidade . Qual a idade de ser feliz? É a idade presente ... Será que eu sou realmente feliz ? E o que é ser feliz ? ".
Resolveu deixar de lado tanto questionamento e cantarolou a música do Capital Inicial : " Parei de pensar /e comecei a sentir... " .

Estava realmente decidida a
procurar viver o momento , sem preocupações , sem grandes planos ou expectativas . Ter bons pensamentos, boas palavras e boas ações . Cultivar o seu jardim interior , plantar nele lírios brancos , rosas vermelhas , azaleias , orquídeas e jasmins .

Mesmo sem querer seus pensamentos lhe sopravam : " Mas... cuidar somente do meu jardim me fará feliz? Não serei mais feliz ainda cuidando de outros jardins ? " . Chegou ao ponto onde suas reflexões queriam conduzi-la . Precisava cuidar de outro jardim . Cantarolou a música dos Titãs : " eu vou cuidar, eu cuidarei dele/ eu vou cuidar , do seu jardim ..."

Sim, já estava decidida. Iria tirar todas as ervas daninhas de outro jardim, deixá-lo limpinho e depois cultivar nele as mais belas flores . Imaginou que a vizinhança iria gostar da ideia e todos juntos poderiam cuidar um do outro .

Lembrou que foi notícia no Jornal Nacional o fato de um homem , já aposentado, se colocar como voluntário para cuidar de jardins maltratados . Os donos dos jardins ficavam felizes . O jardineiro , por sua vez , ficava mais feliz ainda ao fazer o que gostava e por contribuir para a felicidade de outras pessoas .

Num
átimo percebeu a chave da felicidade .


Autora : Tânia Regina S. Guimarães


 
*Imagens Ilustrativas  do post  encontradas na internet .
 
***

O Bem-Estar Como Uma Questão Prática
Carlos Cardoso Aveline
A felicidade é uma meta central na vida. Mas ela não deve ser confundida com satisfação passageira ou com prazeres de curto prazo. A busca de prazer egoísta gera, isto sim, mais sofrimento para si e para os outros, a médio e longo prazo. A felicidade também não pode ser alcançada por tabela, nem indiretamente. É impossível conseguir carona no caminho da tranqüilidade interior.
Os filósofos gregos e romanos estudaram profundamente a arte, e a ciência, de ser feliz. A filosofia antiga vê teoria e prática como inseparáveis e por isso está construída em torno da busca concreta da plenitude do ser humano. Na nova era, a filosofia antiga deve ser retomada porque ela ensina o caminho da felicidade.
Hiparchus escreveu:
“Já que os homens vivem apenas um período muito curto, se sua vida for comparada ao tempo eterno, eles farão, digamos, uma viagem mais bonita se passarem pela vida com tranquilidade.” O paradoxo é: “já que a vida é curta, devemos viver com calma”.
A corajosa aceitação das dificuldades é um ponto comum de pitagóricos, socráticos, estóicos e neoplatônicos. Quando você finge para si mesmo que a vida deve ser uma coisa mole e fácil, está plantando sofrimento. Mas quando você não falsifica a realidade e aceita os fatos duros da vida, está colocando em ação as causas da liberdade interior, da grandeza de alma e da sabedoria.
Felicidade é algo que ocorre aqui agora, quando deixamos de lado a pressa, o medo e a ambição pessoais, mergulhando na tranqüilidade incondicional para escutar a voz do silêncio. 

Fonte : Filosofia Esotérica