24 de abr de 2008

Poema do Amigo Aprendiz

Quero ser o teu amigo.
Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar quando for hora de calar.
E sem calar quando for hora de falar.

Nem ausente , nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo de acertar nossas distâncias...

(Fernando Pessoa )











8 comentários:

Cardoso disse...

Oi ,tudoempaz?

Vi essa foto e lembrei de Sete Cidades.Qualquer dia desses vou lá. Tô com saudade das trilhas e monumentos de Sete Cidades.

Athina disse...

Olá Cardoso, que bom te ver por aqui! Qualquer dia desses vamos combinar um passeio em Sete Cidades. Adoro caminhar naquelas trilhas ! Nesta época chuvosa a cachoeira está cheia ...
Bjs

Sandra disse...

Tudo bem, Thania!
Adoro esse poema do F. Pessoa.

Athina disse...

Olá Sandra!
Eu gosto de toda obra do Fernando Pessoa que é atemporal. Fernando Pessoa ainda continua atualíssimo...

Anônimo disse...

Bom Dia!!!!

Nao tenho palavras pra descrever o que senti quando entrei no seu blog.
É lindo, passa uma coisa boa pra gente bem diferente dos que vejo.
Amei, vol voltar sempre pra ler os poemas e tdo mais.
Parabéns e beijos.

Marizza

Thania disse...

Olá Marizza!
Obrigada pela visita e volte sempre!
Bjs

DEUSDETITH disse...

Belo poema e lindas fotos, a última me lembrou uma trilha de sete cidades...

Thania disse...

Oi Deth , que bom te "ver" por aqui! Apareça sempre,ok?
Beijos