9 de abr de 2010

O ladrão de raios

Ultimamente  poucos  filmes   despertam meu interesse  e  às   vezes  saio do cinema  antes do  filme acabar. Ando mais exigente e seletiva, sem muita paciência para ver o que não me agrada.

No lançamento de " Percy Jackson e o Ladrão de Raios " , no início  de  fevereiro ,  entre tantos que estavam em cartaz  escolhi   para  ver  ao acaso e de forma intuitiva -  pois nada  havia lido a respeito - o filme  que   conta a  incrível  história de Percy Jackson.  Trata-se de uma adaptação para o cinema da série literária  juvenil  " Percy Jackson  e os Olimpianos ".

Saí leve  do cinema ,  com  a sensação  de que escolhera bem .O filme é delicioso. Tem tudo que eu gosto : aventura, humor, efeitos , bela  fotografia   e  versa  sobre um tema que eu adoro, mitologia grega. Claro que é um filme para diversão , nada de profundidade. O diretor é Chris Columbus,  o mesmo dos dois primeiros  da  série  Harry Potter (eu gostei mais de Ladrão de Raios) . 


A sinopse 

Percy  Jackson é um adolescente  hiper ativo , com problemas na escola e na família. Apesar de  viver no século 21, os deuses do Olimpo saem dos   livros de mitologia grega  e entram na sua  vida . Ele descobre que  é filho de uma humana e de Poseidon , o deus dos mares . Portanto é um semi-deus , meio humano , meio divino . Tem dificuldades de  aceitar o pai,  acusando-o de tê-lo abandonado  .

Zeus, o  deus dos deuses ,  acusa Percy de  ter  roubado seu raio, a  arma mais poderosa   que existe. Percy conhece outros  dois  semi-deuses , a guerreira Annabeth - filha de Athena , deusa da sabedoria e estratégia  - e Grover, um sátiro , que é seu protetor . Os três se unem para uma odisséia que irá levá-los ao Monte Olimpo (morada dos deuses)  e para o famoso letreiro de Hollywood,   sob o qual  arde o mundo  inferior , que  é governado pelo deus Hades. O destino da humanidade depende do  resultado dessa  jornada , bem como a vida da mãe de Percy , que ele terá de  resgatar das profundezas do mundo de  Hades .

Minha interpretação 

Percy representa a humanidade, todos nós somos  semi-deuses, meio humanos, meio divinos . Filho de Netuno (ou Poseidon) ,o deus das  águas, ele tem uma natureza essencialmente  emotiva (as águas  representam as  emoções). Por ser  tão emotivo,  tem problemas na escola e na  família . Precisa separar o joio do trigo, as  águas turvas , das  águas límpidas.

Como todo semi-deus  é potencialmente um herói . Sua jornada é uma busca dessa identidade . Conta com o auxílio de um protetor, o sátiro Grover - que  representa os poderes da Natureza -  e  da filha de Athena  ( representando a  Sabedoria  e Estratégia) . Precisa  resgatar sua mãe  das profundezas do mundo inferior ( vencer  sua natureza inferior ) e aceitar o pai ( sua origem divina ) , para  salvar a  si e a  humanidade (que é por ele  representada). Resgatando sua origem divina e  vencendo  sua  natureza inferior , estará salvo e por consequência a humanidade .

O que  representa o raio ? Percy não roubou o raio de Zeus, ele nem sabia que o raio estava escondido no seu  escudo . O raio foi roubado por outro, sob influência de Hades . O raio simboliza o poder e  todo poder deve ser bem  usado. Quem o detém deve ter antes de tudo sabedoria .

Vi , gostei  e  recomendo para quem gosta do gênero infanto-juvenil . Gostei  tanto que estou lendo o livro .

 O Cartaz

O Sátiro Protetor

A filha de Athena

 Clique nas imagens para ampliar .

Veja o trailer ...


Fonte das imagens aqui

Nenhum comentário: